segunda-feira, 27 de julho de 2009

Propriedade de causa é tudo

Fui a um show há alguns dias e houve um pequeno atraso. Foi coisa boba, uma horinha só...

E onde há demora, há fila formada. Ali não era diferente. Como cheguei cedo, estava logo no comecinho, acompanhando todo o processo de passagem de som, problemas de organização da fila e dificuldade de comunicação entre produção e público.

A empresária da cantora foi até bem simpática. Veio explicar para os presentes que um problema técnico com um cabo causou o atraso da passagem de som. Como isso é uma bola de neve, tudo acabou saindo fora do prazo. Tá bem, aceitável.

A certa altura, aconteceu uma pequena confusão na liberação de público pra entrada. Discussãozinha com o pessoal da produção do show vai, discussãozinha vem, e a moçoila que segurava a fita de isolamento da fila resolveu dar a sua versão do caso.

Baseada na explicação da empresária, com toda a confiança, propriedade e conhecimento técnico que ela conseguiu reunir, lançou: "Já, já, a gente libera pro público estar entrando. É que deu um poblema no cabo do fio."

Hum... Aham...



Mas ó gente, na minha humilde opinião, com um poblema dessa magnitude, teria sido mais prudente cancelar o show. Mas isso é só o que eu acho. E quem sou eu, né?

Um comentário:

.::Li::. disse...

Ai, odeio empresárias com desculpinhas esfarrapadas!! Rsrsrsrs

bjs!