sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Inconveniência pouca é bobagem

Ontem estive em um velório. Era uma senhorinha, amiga da família, que já estava adoentada. Fomos lá prestar nossa solidariedade.

Entra, cumprimenta, abraça, diz uma palavra de consolo. Senta, bate-papo, dá risada dos papos non-sense de velório. Toma uma água, um café, um chá. Anda pelo cemitério, vê a paisagem, dá uma espiadinha nos outros velórios que estão rolando. Tudo normal.

Algum tempo se passou e lá estava eu, sentado em uma das cadeiras que rodeavam o caixão. O povo todo conversando. De repente entra uma mulher com uma bata preta, uma blusa de gola rulê vermelha por baixo, uma calça legging vermelha bem agarrada naquele corpo mal-diagramado, uma bota preta. O cabelo, loiro e espigado, estava meticulosamente desajustado num rabo de cavalo preso no topo do cocoruto. Um batom vermelho-boca-de-Brás e um andar desengonçado.

O bom é que ela entrou se anunciando. "Posso entrar? Tá aberto pra visitar? Posso olhar?". Eu com aquela cara de "comassim?", continuei observando. Incrível que, mesmo com uma entrada, aos meus olhos, tão triunfal, ninguém pareceu ter reparado a presença especial.

Aproximou-se, então, do caixão, olhou pra irmã da falecida e perguntou, com um tom de condolência que nem que eu treinasse por anos conseguiria obter:

- Era seu esposo?

Ao que veio a resposta, com a maior naturalidade e tranquilidade:

- Não, era minha IRMÃ.

Eu ainda não consegui decidir o que foi mais estranho: a mulher invadir o velório alheio causando, ela perguntar se A MORTA era o ESPOSO da IRMÃ, ou a tranquilidade da irmã para responder numa boa uma pergunta tão estúpida, que talvez merecesse uma resposta cretina.

5 comentários:

wa_oliveira disse...

kkkkkkkkkkkk cada uma neh!

Erika disse...

Era a própria Nazaré indo a um velório.. rs

Marcio Hasegava disse...

Fico com a segunda opção. São poucos os momentos na vida em que você continua certo se resolver xingar alguém. Esta era uma dessas ocasiões. Eu aproveitava.

nani. ca disse...

Noooossa! :O

Minduim sem a garotinha ruiva disse...

porra a irmã da defunta perdeu uma sincera chance de mandar a louca ir tomar naquele lugar