quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Aproveitando Finados: os mortos devem permanecer mortos

Dizeres de um cemitério: para quê existe muro aqui se quem está fora não quer entrar e quem está dentro não pode sair?

Um questionamento para justificar a minha indignação com os zumbis televisivos. Deveriam colocar cerca elétrica no cemitério da TV brasileira, pois ontem, na madrugada de Halloween, tive um encontro com um programa morto-vivo.

Doido para dormir, burramente liguei a televisão, na esperança de que o som e a luz fraca de um filme noturno soturno me embalasse. Quem dera.

Ao mudar de canal, reconheci uma vinheta que me retrocedeu aos meus tempos de infância. Dois apresentadores meio perdidos (talvez sonolentos), revezavam-se em frente às câmeras, convocando algumas meninas de biquini a ajudar na execução de brincadeiras a fim de dar (tomar) dinheiro do telespectador. Reconhece?

Foi-se o tempo em que eu acreditava na inocência do "ligue e participe", "é grátis e o cadastro é fácil e rápido". Pro boi dormir, só se for. Com as ligações recebidas, a emissora acumula dinheiro suficiente de interurbanos para pagar tantos prêmios quanto forem necessários e ainda sobra para pagar os salários dos envolvidos.

Nota: as brincadeiras eram obviamente um pretexto, fáceis ao ponto de um jumento responder corretamente, ridículas. Se o tardar do horário de exibição, se falta de prestar atenção, não sei explicar como as pessoas conseguiam errar. Exemplo: cinco bolinhas na tela, sendo que elas podiam ser vermelhas ou amarelas. O objetivo era acertar a seqüência. O ligador dava o primeiro palpite, os apresentadores diziam o que estava errado, e havia uma segunda chance. Bastava corrigir o que não estava certo. Pois há quem erre. Acredite! Ou veja com os próprios olhos, basta zapear de madrugada. E é daí pra pior no quesito brincadeiras. A tendência é sempre piorar.

Mas o que mais me causou espanto foi eu não conseguir dormir prestando atenção e me lamentando a todo momento: "eu tenho que dormir, preciso desligar isso", e rindo de desgosto, por me manter atento por tanto tempo em algo tão idiotizante. Pelo menos uma hora inteira em frente à TV, mas consegui me libertar. Deve ter mensagem subliminar, para mesmerizar quem assiste. Sou capaz de chorar só de lembrar da noite mal dormida por culpa do tal programa que retornou da tumba...

3 comentários:

BELA FERA disse...

Sugestão soturna para um errante televisivo noturno: "Pimp my Wife"...

Já sei, já sei... Está na hora de providenciar comprimidos para dormir... Farei meus contatos.

Veja pelo lado positivo: por mais bizarras que algumas de nossas ações possam parecer... nunca estamos sós.

Um salve para os mortos-vivos!

Bala de Goma disse...

Já pensou em contar carneirinhos?

Às vezes funciona! Não? ahahah!

Beijo coração!

Jackline disse...

Melhor que ler o relato, é ouvir, ao vivo e a cores, você contando.
Sua cara de desespero é uma das melhores do Universo.

hahahahahahahahaha!

Isso acontece tanto comigo... Alguns programas de tv me fazem refem.
E te dias que nem os canais a cabo escapam... =/

Beijão, Elmozinho.
Amo.