segunda-feira, 23 de junho de 2008

Quando algo não cheira bem

Foi girando a roleta do dia-a-dia que deparei hoje com o tema "gente fedida". Voltando do trabalho, já noite adentro, escolhi meticulosamente um lugar para sentar no ônibus. Bem, não tão meticulosamente. Na verdade, peguei o lugar mais vulnerável no microônibus. Meu banco era o segunda das fileiras, logo atrás de um banco solo. Fiquei bem no canto de um "L" vazio de assentos.

Sentar não foi o problema. Pouco antes de sairmos, entrou um casal e se sentou bem ao meu redor, nas pontas do "L".

Foi aí que começou minha batalha. Era manga de blusa no nariz, aí vinha a falta de ar, virava de lado, aí vinha o desconforto no pescoço, abaixava a cabeça e a catinga só piorava.

Mas esse casal fedia que vocês nem imaginam. Era uma mistura de suor, meia velha, cheetos bola, amendoim ovo, cigarro e plantação de cana depois da queima, que era difícil permanecer consciente.

Então rola uma bobice da minha parte que preciso aprender a controlar. A tal da vergonha de mudar de lugar no ônibus. Sei lá, fico achando que vou parecer antipático, fresco, aí chego à conclusão de que ninguém tem nada com isso, sempre tarde demais.

Enfim, os dois sairam. Para minha surpresa, vejo uma senhora que estava em uma das cadeiras opostas à minha comentar algo com o motorista. Tiro um dos fones do ouvido e percebo que estão a comentar o odor dos porquinhos. Desabafo com um "nossa, tava complicado com esse cheiro horrível". Eis que houve uma concordância por parte do motorista, da senhorinha e de um rapaz na fila anterior à dela.

Meu, como é que uma pessoa consegue conviver com um mau cheiro tão grande no corpo? E ainda obriga os outros a saborear tão magnífica companhia...

Sem brincadeira, eu chutaria que eles estavam há uns quatro dias sem ver água e sabão, esplendorosa combinação, que até rima gera. E olha que nem calor está, pois se estivesse eu daria um desconto.

Incrível também são aqueles caras que conseguem estar fedendo às sete da manhã no trem. Mal o dia começa e o sujeito já está mergulhado na futunzera. Deve existir uma técnica para feder pela manhã, alguma loção de suor, esgoto envazado, vai saber...

Não é por nada, mas eu consigo tomar banho de manhã, pegar trem, andar, trabalhar, ir para a faculdade e chegar cheirando bem em casa a noite.

Vou encerrar, pra não me alongar ainda mais... é o tipo de assunto do qual eu reclamaria por horas...



Um comentário:

Jackline disse...

g-zuz! que isso?!
tenho problemas com cheiros ruins!
tenho TOC!

e deve ser por isso que sempre ando com meu Kit limpeza sempre por perto: perfumes, cremes, desodorante e sabonete vivem na bolsa!

acho que se eu estivesse no seu lugar, chamaria o Hugo!

beijos.